top of page

O que acontece quando eu espero o outro adivinhar o que eu quero

Atualizado: 21 de jul. de 2023


Essa é uma história que aconteceu com Marshall Rosenberg, criador da Comunicação Não Violenta (CNV).


Foi uma situação real que ocorreu em um workshop de CNV.


Um casal subiu no palco e Marshall estava mediando um conflito entre eles. A mediação começa assim:


Marshall disse para a esposa: “Qual necessidade sua não está sendo atendida?”


Esposa: “Minha necessidade de amor não está sendo atendida”


O marido disse: “Mas eu amo você”


Marshall interrompeu dizendo: “Perai, vamos descobrir o que ela quer de você para ter a necessidade de amor dela atendida”


Marshall disse para a esposa: “O que especificamente você gostaria que ele fizesse para atender sua necessidade de amor?”

Ela pensou um pouco e disse para o marido: “Bem, você sabe”


O marido disse: “Não, eu não sei. Se eu soubesse eu faria”


Esposa: “Bem, não é fácil dizer claramente o que eu quero”


O marido disse: “Se não é fácil para você dizer, você pode ver então o quão difícil é para eu fazer?”


Ela pensou e pensou e logo foi possível ver o constrangimento no rosto dela.


Então ela disse: “Ok, Marshall, eu entendi o seu ponto. Eu vejo agora por que não estou tendo minha necessidade de amor atendida.”


Marshall: “Ah é? Como assim? O que você quer que ele faça para atender sua necessidade de amor?”


Esposa: “Eu quero que ele adivinhe o que eu quero, antes mesmo de eu saber o que é. E então quero que ele sempre faça isso”.


E você, leitor ou leitora, acha que essa forma de pedir da mulher tem muita chance ou pouca chance de ela receber o que ela quer?


Na minha experiência, digo que existe pouca chance de ela receber o que quer.


Assim, esperar o outro adivinhar o que eu quero é um dos motivos de não recebermos o que queremos. Peça com clareza o que você quer.



70 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page